Meme: Como eu me vejo - em desenho




Esse post é baseado num dos temas de meme propostos para esse mês pelo grupo Rotaroots.

A felicidade me atrai...

Foto encontrada no Google

A felicidade me atrai. Desde pequena.

Sim, claro que tenho meus dias/minutos de stress/tristeza/revolta/chateação, mas tento não deixar que esses momentos me impeçam de ser feliz.

Não gosto de negativismo. Acho que só ver o lado ruim das coisas bloqueia a nossa felicidade.

Mas, claro, concordo que nem sempre as coisas são perfeitas, então não podemos esperar demais de qualquer momento, qualquer situação que seja.

Sim, mesmo que algo não aconteça de acordo com os planos, com o que foi esperado, tenho que tirar o melhor dessa experiência sempre e evitar cometer o mesmo erro duas vezes.

Também, por mais vergonha que tenha/tímida que seja, tenho que arriscar mais e não ficar só pensando “E se…”.

A felicidade está aí, nas tentativas, nas vezes que se arrisca, no aprendizado que a vida nos proporciona…

A felicidade também está naqueles momentos pequenos ou grandes em que você fez algo que queria muito, em que você realizou um sonho, em que esteve ao lado dos seus amigos em um passeio sem graça (que ficou divertido com eles) ou em um passeio bem bacana, nos momentos que esteve ao lado de sua família (pets incluídos aqui) e até mesmo de ilustres desconhecidos.

Uma vez, na faculdade, me disseram que a alegria está acima da felicidade. Se isso é verdade, eu não sei… Mas, me considero uma pessoa bem feliz, sempre tentando melhorar, e agradecida a Deus pelas oportunidades que tem me dado.

Uma pessoa genuinamente feliz me atrai. Quem não vai querer estar cercado de pessoas felizes?

A felicidade contagia!

Claaaaro, todos temos nossos altos e baixos e ninguém é robô para ser feliz 24x7… Mas, de forma geral, você é feliz?

Meme: 3 livros que mudaram minha vida

Foto encontrada no WeHeartIt 


Eu amo ler, desde pequena. Então, já li muitos livros desde então. Alguns deles, livros que a escola obrigava a ler, mas que, na maioria das vezes, me surpreendia positivamente. 

Tenho muitos livros na lista de favoritos e vários deles foram marcantes na minha vida. Além disso, muitos livros me ensinaram lições que vou levar sempre comigo.

Para esse meme, separei 3 deles que me ensinaram muito sobre coisas diferentes, mudaram minha vida de alguma forma e me incentivaram a não deixar que nada me impedisse de viver e acreditar no lado bom da vida (e não estou falando do livro do Matthew Quick ou do filme!)....


Foto encontrada no Google

Manual para sonhadores - Nathalie Trutmann

Esse é daqueles livros que a gente compra pela capa, pelo que diz do livro na contra-capa e pelo nome, sem nem saber se o conteúdo é realmente bom, e somos surpreendidos pela leitura fácil, gostosa e tranquila que esse livro nos proporciona.

É um livro que incentiva a sonhar e a correr atrás da realização desse sonho seja ele qual for..

Me lembrou que eu sou a responsável por correr atrás da realização dos meus sonhos e que, se eu não for atrás de realizá-los, ela vão sempre continuar no papel e nada vai acontecer. Ajuda a lembrar também a valorizar a família, as boas amizades, pequenos e grandes momentos que acontecem conosco... Ele mudou minha vida porque me fez começar a correr atrás do que queria, viver e aproveitar minha vida enquanto posso - e jamais deixar de sonhar!


Foto encontrada no Google

Histórias para o coração - organização Alice Gray

Alguma professora minha, da época de escola, virava-e-mexia lia uma estória desse livro ou usava um trecho em exercícios e provas... Gostava tanto das mensagens que acabei indo atrás e comprando. É um livro que fala também de Deus e Jesus sim, mas acima de tudo, é um livro sobre fé, esperança, ser uma pessoa melhor. Tem provérbios chineses, coisas escritas por Max Lucado (um grande autor, por todos os textos e livros que já leram pra mim em época de escola ou que eu já li), um trecho transcrito de um episódio dos Simpsons, e por aí vai...

No livro, tem estórias que te fazem acreditar que existem pessoas boas no mundo, acreditar que as pessoas podem mudar, que o mundo pode ser um lugar melhor... É um daqueles grandes livros que você tem que ter por perto e, quando no menor dos sinais, tudo parecer perdido ou assustador, sente um pouco e leia uma das estórias, que aquilo vai te fazer um bem.... Mais que aquecer o coração, esse livro aquece a alma.... E mudou minha vida!


Foto encontrada no Google

Carrego no peito - Fernando Vaz

De todos os livros que me lembro de ter lido, talvez esse seja a escolha certa para o terceiro livro que mudou minha vida. Li esse livro na época de escola - talvez 5ª série - e não esqueci jamais dele.

É uma ficção que narra a vida de uma garota, bem jovem, nadadora que se vê frente a uma adversidade: ela tem problemas cardíacos e necessita colocar um marca-passo.

Lembro que na época que li o livro e vi o otimismo que a personagem principal tinha, a forma que ela lidava com esse "problema" e como ela vivia a vida dela, aprendi minha lição : não posso deixar que nenhum problema (pequeno ou grande) afete minha vida e minha forma de viver - nem meu otimismo - e devo sempre ter uma forma positiva de encarar a vida e as adversidades que podem aparecer no meu caminho.

Esse post é baseado num dos temas de meme propostos para esse mês pelo grupo Rotaroots.

#diadefilme Simplemente Acontece


Comprei o livro, antes do filme ser lançado, mas já sabendo que teria filme desse livro, porque eu tinha assistido "P.S.: Eu te amo" e lido "A vez da minha vida", ambos da mesma autora: Cecelia Ahern. Hoje, ela se tornou uma das minhas autoras favoritas.

Foto encontrada no Google.

Talvez "Love, Rosie" tenha sido um dos melhores livros que li e não tinha como não se apaixonar por Alex e Rosie. Cada mensagem, cada carta, cada interação entre eles, desde que eram crianças até adultos.

O filme não aborda tantos anos na vida deles, é mais rápido, e tem vários personagens secundários que tiveram suas estórias alteradas, mas isso não torna o filme pior.

Blogagem Coletiva: Recomeços... O que me fez recomeçar do 0?

Foto encontrada no WeHeartIt

Na minha vida pessoal, não me lembro de uma situação marcante que tenha me feito recomeçar algo… 

Acredito que estou constantemente mudando, evoluindo, e sempre aprendendo a ser uma pessoa melhor. Isso partiu de mim, a medida que fui crescendo e amadurecendo e não vi a necessidade de recomeçar - apenas de ir aos poucos (lentamente, infelizmente) ajustando os pontos com os quais não concordava/concordo que eram/sejam bons pra mim.

Já profissionalmente, ainda que sempre na área de TI, já tive mudanças de emprego e de áreas de atuação/papéis, causando recomeços.


A maior delas, na minha visão, foi quando saí do papel de desenvolvedora de um time de suporte para ser analista de qualidade de software de um time de desenvolvimento.


Além de ser uma grande mudança nos processos sair de suporte para ir para desenvolvimento, eu saí de um papel que eu tinha um plano de carreira mais desenvolvido, naquele momento, para arriscar em um papel que eu não conhecia muito bem e teria que começar do zero, seguindo a velocidade de aprendizado que eu pudesse ter e que o projeto necessitasse.


No início, esse recomeço foi meio difícil por ser muita coisa nova para aprender e ter muita coisa que dependia da minha execução - e tudo tinha prazos….


Hoje, quase um ano depois desse recomeço, com elogios e críticas construtivas recebidas, sempre tentando melhorar e aprender mais, posso dizer que talvez esse recomeço tenha sido a melhor decisão que eu tive - ou uma das melhores. Não me arrependo nada. Sim, ainda tenho muito a aprender (muito mesmo), mas são aprendizados que terei com o tempo, com os projetos que vierem….


Escrever e planejar casos de teste, pensar em todas as possibilidades… São coisas que eu realmente gosto de fazer!


Se eu continuarei nessa área ou recomeçarei, só o destino dirá… Mas vou aprendendo e curtindo esse recomeço que tive…



Esse post é baseado num dos temas de blogagem coletiva propostos para esse mês pelo grupo Rotaroots.

Blogagem Coletiva: Querida *eu* do futuro...


Querida *eu* do futuro,

Se lembra de quando eu decidi tomar as rédeas da minha vida e começar a não deixar algumas coisas bloquearem tanto a minha vida?

Se lembra de quando eu decidi viver e não deixar que nada me impedisse de ser feliz?

Pois é... Talvez eu tenha crescido - usando em termos corretos, amadurecido -, mas sem perder minha essência.

Você aprendeu coisas novas? Teve lições para sua vida?

Espero que tenha aprendido muito nesses 10 anos que nos separam... Conhecimento é sempre útil!

Será que você ainda é feliz? Ainda faz o que ama? Será que você realizou todos os seus sonhos? Foi pra Inglaterra, Alemanha, ...? Viajou bastante? Já encontrou o amor da sua vida? Ou ao menos viveu amores que fizeram seu tempo valer a pena? E aquelas amigas de sempre? Continuam ao seu lado, certo? 

Bom, para todas essas perguntas, de coração, eu realmente espero que a resposta seja afirmativa. Você é que eu serei em 10 anos e eu não quero ser uma pessoa que se sente frustrada, infeliz... Nunca fui assim e não pretendo nunca ser assim. A felicidade é algo que me atrai.

*Eu*, espero que você não tenha perdido sua essência, que continue sonhadora mas realista, romântica mas que não se apaixona fácil, cercada de gente bacana e muito, mas muito feliz.

Espero que, mesmo que seu corpo tenha envelhecido, sua alma não tenha. 

Que você, mais que sempre, saiba o que quer e consiga traçar e cumprir suas metas para realizar tudo o que você quiser. 

Espero que você jamais mude por alguém. 

Espero que você tenha conseguido eliminar da sua vida os defeitos que eu tenho hoje. Que você não seja mais tão tímida em algumas situações, por exemplo.

E mesmo que já tenha dito antes, eu reforço: que você seja muito feliz, aonde e como quer que esteja... E sim, tenha muita saúde e muita paz.

Como o futuro a Deus pertence, eu não tenho nem terei, no momento, qualquer resposta para minhas perguntas. Só daqui a 10 anos eu terei essas respostas vindas de você....

Acho que o lance é continuar vivendo minha vida e aprendendo... E o futuro me trará essas respostas.

Se cuida e fica bem.

Beijos, 
Do seu atual *eu* que, quando você ler, já será seu *eu* do passado.


Esse post é baseado num dos temas de blogagem coletiva propostos para esse mês pelo grupo Rotaroots.

"Espere o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier"

Imagem encontrada no WeHeartIt

"Espere o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier" {CPM22}

Já cantava o sábio Badauí esse trecho na música "Perdas". 

Eu sou assim. Na verdade, a vida me fez assim. Eu sonho com o melhor de cada situação e torço para que o melhor se concretize (o que é o melhor, depende de cada situação), mas também venho esperando que o pior também pode acontecer. Mesmo que não queiramos que o pior ocorra, é melhor esperar pelo pior e ir sonhando baixo e sermos surpreendidas pelo melhor do que sonharmos alto e levarmos um tombo gigantesco.

Para qualquer situação, temos que aceitar o que a vida e o destino nos trazem e saber tirar o lado bom disso - seja aprendermos a não repetir esse erro, seja mudar nossas atitudes ou o que quer que seja.

A vida nos prega peças e nos traz surpresas a cada momento. Esse é um dos motivos que me fazem crer que devemos continuar sonhando que o melhor vai acontecer, mas com os pés no chão, realista de que o pior também pode ocorrer e sempre atenta para, se o pior ocorrer, tirar nosso aprendizado da situação e evitar que o mesmo problema/erro se repita em nossas vidas.

Não podemos ter medo do nosso destino, do que vai acontecer conosco, seja lá o que for que esteja traçado para nós... Nosso destino é incerto. A gente aposta, dá tiro no escuro.... Temos que continuar vivendo, deixando a vida acontecer e nos surpreender e ver no que dá. 

Porque... Onde estaria a magia da vida se não fôssemos surpreendidos a cada momento? De onde tiraríamos nossas lições e aprendizados se o melhor sempre acontecesse?

Aceite o que vier. Assim você vai construindo sua estória, vivendo sua vida, aprendendo, sendo feliz e se surpreendendo.

#diadefilme Cinderela


Eu assumo, nunca liguei muito para a Cinderela. Não me pergunte o motivo porque não saberei te responder.

Quando era criança, claro que sabia a estória dessa princesa, que ela, por algum motivo que eu desconhecia, havia perdido pai e mãe e fora criada por uma madrasta má com duas meia-irmãs chatas. Uma fada-madrinha aparece, ela se transforma, conhece/vive um breve romance com o príncipe. Dá meia-noite e ela foge, para que o encanto não se acabasse na frente do príncipe e de outras pessoas, ela perde o sapatinho de cristal, ele a procura. Mas, confesso, nunca havia assistido ao filme ou lido um livro sobre ela que seja. Junto com a Jasmine, talvez tenha sido uma das princesas que eu ignorei.

Quando tinha uns 12 anos (sim, quase uma adolescente!), achei uma fita/DVD desse filme perdido em casa, que nunca quis assistir, e decidi assistir a um pedaço - tenho quase certeza de que não vi tudo porque me lembro apenas de umas passagens do filme!

Ou seja, a primeira vez que assisti a algum filme da Cinderela, do início ao fim, de verdade, foi agora, com esse filme com pessoas que a Disney fez, no alto de meus 24 anos.



Enchanted # 6 - Holger Badstuber



Dia 14/02/2011 ouvi a versão do Owl City para a música da Taylor Swift e a música Enchanted não saiu da minha cabeça por um tempo. Foi por isso que decidi fazer uma seção chamada Enchanted em 18/02/2011. Não decidi a freqüência, mas ocorrerá sempre que eu tiver tempo disponível para postá-la.

Para o 6º post de Enchanted, escolhi o Holger. Ele é uma gracinha e já ouvi comentários de meninas sobre ele ser um Ken real (da Barbie mesmo) e, quando mais novo, ele era constantemente comparado com/ chamado por apelidos que remetiam ao Justin Bieber (ele sempre foi muiiiito melhor que o Justin, mas, cada um com sua opinião :D).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

up