Desde que houver country no rádio...


Comecei a escrever pequena parte desse texto em outubro de 2013,  quando já gostava de Country (sempre curti Country, mas comecei a conhecer mais de Country e ouvir mais em 2013, quando comecei a ouvir Blake Shelton) e estava ouvindo bastante. De lá pra cá, meu amor só aumentou e é um dos ritmos (se não é "O" ritmo) que eu mais ouço. 

Confesso, estou viciada em Country. Conheço vários artistas, escuto quase todos, tenho os meus preferidos, minhas músicas preferidas que escuto várias e várias vezes...
"That's how we're rocking, that's how we roll
As long as there's country on the radio"
Country on the radio - Blake Shelton
Para entrar no clima e entender do que estou falando, preparei uma playlist pra você escutar enquanto lê o post. Quem sabe não começa a gostar tanto desse estilo musical quanto eu! ;D



Falando sobre o Country, minha visão é de que o Country é sexy, o Country tem atitude, é feliz, animado. O Country também tem seu lado de romance, de declaração, se apaixonar. Quando penso em country, penso em um grupo de amigos, penso em felicidade, penso em amor, em atitude, animação e uma certa sensualidade. 

Quando começo a escutar, geralmente tenho vontade de cantar e dançar junto. O Country desperta isso em mim. É mágico.

Atualmente, tenho vários artistas na minha playlist. Citando alguns, de cabeça, poderia te dizer que, sem sombra de dúvidas, os que eu mais tenho escutado são Blake Shelton, Luke Bryan, Florida-Georgia Line, Hunter Hayes, Lucy Hale, The Swon Brothers, The Band Perry, Scott McCreery, Old Dominion. Cada um deles  faz um estilo diferente, tem vozes, ritmos e abordagens diferentes, mas todos são igualmente interessantes pra mim.

Comecei a ouvir Taylor Swift, logo que ela foi lançada nos Estados Unidos (na época do clipe de Our Song), porque havia lido na Seventeen sobre a nova estrela do Country. Sim, só ouvi Taylor Swift porque ela era do Country. E gostei das músicas dela, do estilo. Gostava do fato de me sentir representada por uma menina que tinha cabelos cacheados e fios meio rebeldes como eu, além do fato de que ela usava botas de caubói com vestidos fofos. Ela era alguém que eu achava que me representava bem quando era mais nova. Além disso, todas suas músicas faziam sentido pra mim e ela sempre tinha, pelo menos, um quê de country nas músicas. Infelizmente, com o tempo, ela foi indo cada vez mais pro pop e hoje não consigo mais achar o country nela (não me leve a mal, ainda a ouço, só não gosto tanto quanto das músicas mais antigas). Por isso, nem a considerei na minha lista e fico muito chateada quando ela ganha prêmios como melhor artista country, melhor artista country feminino, melhor álbum country... Não é justo. Nada mais nela é do country. Esses prêmios deveriam ir pra alguém que realmente tenha country em suas músicas, ainda que seja um country mais romântico/suave. 

Desabafos à parte e voltando a falar sobre o que realmente interessa (o country), eu acho uma pena que o country americano não faça tanto sucesso por aqui, afinal, existem várias música do sertanejo nacional que são versão de músicas do country americano (ok, talvez a maioria venha do pop, mas ainda assim...) - a "Pura Emoção", do Chitãozinho e Xororó é versão de "Achy Break Heart",  que foi gravada por Billy Ray Cyrus. 

Eu não sou grande fã do sertanejo nacional, confesso. Conheço um pouco de Victor e Leo, Michel Teló, um pouco de Jorge e Mateus, Fernando e Sorocaba, pouca coisa do atual, um tantinho a mais dos antigos (principalmente do Daniel e do Leandro e Leonardo) e, confesso (não me julguem!), gosto de Luan Santana - apesar de que, pra mim, ele é pop e não sertanejo, mas enfim...

Não tem jeito, o country ainda é minha paixão maior!

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

up