The Voice US - Minha Opinião até agora... (Temp.3-7)


Assisto ao The Voice US desde a terceira edição, logo que fiquei sabendo que a Cassadee Pope (que costumava ser de uma banda que eu amava chamada Hey Monday - eles inclusive tocaram no Brasil) estava nele. Comecei assistindo por causa dela, mas não foi só por causa dela que continuei. Logo naquela temporada, além dela, tinham os brilhantes finalistas e igualmente merecedores Terry McDermott e Nicholas David. Gostava de muitos que saíram ao longo do caminho. Do top 20, além dos 3 finalistas, gostava também do Bryan Keith, Julio Cesar Castillo, Cody Belew, Diego Val e MacKenzie Bourg. Tinha também o Dez Duron, que na época achava que era só um rostinho bonito, mas quando o ouço agora, nas gravações da terceira temporada, vejo que estava completamente enganada - o cara canta e bem, por sinal!

Além disso, já gostava do Adam e me apaixonei pelo Blake! Virei fã do Blake - e graças a ele, conheci mais e mais do Country que eu sempre gostei!
A quarta temporada foi a primeira que assisti desde o início. Fui tendo meus favoritos desde as blind auditions. Alguns favoritos foram se mantendo, outros não necessariamente. Gostei da campeã (Danielle Bradberry) porque ela me lembrava um pouco a Taylor Swift em início de carreira, mas preferia que a vitória tivesse sido da dupla que foi vice, os Swon Brothers. Além deles, gostava de outros também, como os que chegaram ao Top 20: Josiah Hawley, VEDO, Garrett Gardner e Justin Rivers. Essa foi também a temporada que a Shakira e o Usher entraram no rodízio de coaches.
A quinta temporada foi outra que acompanhei desde o início. Nesse temporada tinha muita gente boa, mas eu não gostava de todo mundo. A maior parte dos meus favoritos saiu nas Battles/Knockouts/Top 20 ou ao longo das semanas. Nenhum chegou à final.
Também acompanhei a sexta temporada desde o início. Tinha muita gente boa. Mas também tinha gente que eu nem conseguia ouvir, achava um tédio. O campeão, Josh Kaufman, era bom. Tinha uma voz linda e única que o tornava "A" voz. Estava entre os melhores pra mim, mas não era meu favorito.
Todas essas temporadas anteriores tinha gente muito boa. Mas também tinha muita gente ruim ou na média, principalmente durante as blind auditions.
Nessa sétima temporada, que estou assistindo junto com os EUA e desde o início, tem muita gente boa. Independentemente se eu gosto ou não da voz dessas pessoas, de forma geral, são todas muito talentosas.
Logo nas blind auditions, fiquei impressionada com a quantidade de gente boa e sofria ainda mais quando alguém bom não passava. E, conforme foi afunilando, os poucos que não gostava ou torcia contra foram saindo até o top 12. Claro, muita gente que eu gostava de ouvir acabava saindo também, mas não tinha jeito.
Hoje, quando vejo os finalistas, vejo que todos eles são merecedores de levar o prêmio. Sem contar história de vida, apenas voz, estilos, apresentações e presença de palco, essas pessoas se destacaram ao longo da jornada.
Tenho meu top2 nessa final, mas não vou ficar chateada se outra pessoa além deles ganhar, desde que eles consigam uma gravadora pra continuar gravando CDs tão bons quanto eles gravaram quando ainda eram independentes e não-reconhecidos pelo trabalho que tinham. 
Que a oitava edição do The Voice US seja tão boa quanto essa =)

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

up