Times do Coração


Sim, eu sou do tipo que assiste aos jogos do times para os quais torce, mesmo se não está valendo mais nada. Eu sou do tipo que sofre e torce por uma vitória, mesmo se já sei que não serão os campeões ou mesmo sabendo que eles não têm chance.
Eu sou do tipo que sofre, que vibra, que xinga, que reclama, que aplaude e comemora. Do tipo que fica com o coração na mão durante todo o tempo de jogo.
Em casa, eu grito, eu canto, eu falo, eu xingo. No estádio, sou do tipo de torcedora que vibra e sofre de forma mais discreta, não deixando de cantar junto com a torcida.
Sou do tipo que crê que, quando se ama um time, ama na alegria e na tristeza, ama na saúde e na doença, tal qual é prometido durante o casamento.
Quando você escolhe amar um time, você não o ama por ter mais ou menos troféus, por ter ou não um estádio, por ser mais ou menos famoso, mais ou menos rico, por ter o melhor ou o pior elenco. Você não o ama só por ter um determinado jogador nem, muito menos, apenas por sua história.
Você ama o time porque se identifica com ele, porque encontrou um lugar ao qual pertence. Você encontra um porto-seguro naquele time e se identifica de tal maneira que sofre durante os 90 minutos de jogo, além do tempo adicional.
Você conhece os jogadores e assiste aos jogos até quando é o time reserva! Você está lá para suportar o time quando o time vence do melhor time da competição até quando perde do lanterninha.
Você é técnico e torcedor, tudo ao mesmo tempo. E prestigia a marca do time sempre que possível.
Você está lá pelo seu time até o fim, apoiando e incentivando, não importa o que aconteça!

Essa frase da música "No Idea", do Big Time Rush, que coloquei na imagem acima, tem tudo a ver com futebol e times do coração, na minha opinião. Traduzindo de forma livre, ela diz "Eu te amarei, se você não tiver ninguém pra amar". Mesmo que torçam contra seu time, você não abre mão de amá-lo. Mesmo que tudo dê errado, você está lá para dar suporte. É um amor eterno, que não é mensurável. É muito amor! E sim, agradeço ao Corinthians, Bayern München e Manchester United por me fazer amá-los tanto ;D

Júlio Cesar x Deola



Crédito da Imagem: esporte.ig.com.br
Assisti ao jogo Corinthians x Ponte Preta e ao jogo Guarani x Palmeiras na tv. Não só porque Corinthians e Palmeiras são os dois times brasileiros que eu mais gosto, mas também porque seria o jogo dos dois times de Campinas - como boa campineira que sou, prestigio os times da minha cidade.
Acabou que vi meu time do coração perdendo, para um dos times de Campinas, e vi o Palmeiras perdendo para outro time de Campinas.
Se achei que foram merecidas as vitórias da Ponte Preta e do Guarani? Pelo jogo de hoje, foram. Pelo Campeonato Paulista 2012, não. Eu explico: Corinthians e Palmeiras fizeram campanhas excelentes ao longo desse Paulistão. Foram os times que ficaram mais tempo sem perder e, por um bom tempo, foram os que tiveram a defesa menos vazada (Corinthians) e o melhor ataque (Palmeiras) do Campeonato. Mereciam chegar na final. Mas os times de Campinas fizeram um ótimo final de Campeonato e chegaram com confiança nessa fase...
No primeiro tempo, confesso que vi um Corinthians perdido, com falhas na defesa e meio de campo perdido. Não me lembro de ter visto um Corinthians tão desencontrado. Durante o segundo tempo, o Corinthians arrancou e fez um jogaço contra a Ponte Preta - como o que esperamos de um Corinthians x Palmeiras -, digno de clássico. Até mesmo os ânimos dos dois lados estavam exaltados. Correria, todos queriam ganhar. Ponte Preta se deu melhor.
Já o Palmeiras começou o jogo jogando no mesmo nível do Guarani. Tudo indicava que o jogo seria resolvido nos pênaltis. Mas, de repente, no início do segundo tempo, o Guarani arrancou e fez dois gols. Logo em seguida, o Palmeiras fez seu primeiro gol. Um dos gols do Guarani ainda foi um gol olímpico, feito por Fumagalli. Todos esses três gols ocorreram apenas nos 9 minutos iniciais do segundo tempo. Palmeiras ainda teve sorte de não ter tido um jogador expulso, por ter chutado, na maldade, o Fabinho, do Guarani... E por aí vai. Palmeiras perdeu com o mesmo placar que o Corinthians perdeu: 3x2 !
Mas o problema maior é que o Deola e o Júlio César saíram como os grandes vilões de hoje. Não concordo. Podem ter falhado sim, mas a defesa também falhou em todos os momentos. O erro não foi apenas deles.
Além disso, não é um jogo ruim que vai dizer se eles são bons ou não. Os caras não precisam provar nada para ninguém.. São jovens, amam os times para os quais eles jogam e sabem qual é o peso da camisa que vestem. São focados, determinados e excelentes. São guerreiros e lutam até o fim. Não desistem por uma bobeira. E não são, como estão falando no twitter, pipoqueiros ou mão de alface. Os caras não merecem ouvir tantas besteiras!!!
Os dois, junto com o Rafael (Santos) são os três melhores goleiros do Brasil na atualidade e vêm da Escola Marcos/Rogério Ceni.
Eles não merecem ouvir tantas besteiras... Li que o Julio saiu do Pacaembu chorando. Não é justo xingarem ele apenas por não ter estado no seu melhor momento. Mas o time todo não estava também no seu melhor momento.
Que o Deola e o Julio levantem a cabeça, bola pra frente, e provem o motivo de serem considerados os melhores goleiros do Brasil para toda essa turma que fica falando mal deles!
#goDeola #goJulioCesar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

up